domingo, 21 de novembro de 2010

Ser ou Não Ser...


O despertador tocou. Eu acordei. Abri os olhos e vi uma fresta de luz passando entre as cortinas. Fui em direção à janela e percebi que um dia ensolarado estava para começar.

Logo, um conjunto de idéias e possibilidades começam a invadir a minha mente, levando-me a viajar em sonhos. Nas profundezas dos sonhos surge um trovão. As lembranças de um mundo irreal provenientes da interação consciente - subconsciente surgem com a intenção de fazer-me regressar.

Acordo pela segunda vez. Onde será que estou agora ? Estou em um sonho dentro de um sonho ? Lembrei-me que tenho obrigações a cumprir e que não posso deixar de fazê-las. E se não fizer, o meu mundo cai ? Mas e se eu fizer, hoje, amanhã e depois de amanhã… Como será o dia seguinte ? Serei mais feliz ou infeliz ?

Pra que tudo isso ? Tantos pensamentos, reflexões, devaneios… Sempre temos múltiplas opções, bem na nossa frente, diante dos nossos olhos. Devemos seguir um caminho ? Mas pra que seguir ?  Um caminho é pouco para atingirmos a plenitude ? A plenitude existe ?

Perguntas, perguntas e mais perguntas… Onde estão as respostas ? Cada um tem as suas respostas, a sua verdade, ou inverdade.

O que todos querem é ser felizes, mesmo que não saibam disso ou até mesmo pensem que buscam é a infelicidade. Seja através da alegria ou da tristeza. Na riqueza ou na pobreza. Na paz, ou participando de uma guerra. O que seria do mundo se todos pensassem igual ? A diversidade é fundamental para a nossa subsistência.

Cada pessoa busca a sua felicidade do seu jeito, consciente ou inconscientemente. De forma racional, ou irracional. Seja através do individual, ou coletivo. Socializando-se, ou isolando-se.

Pra que tantas perguntas sem respostas ? As respostas estão nas perguntas, no instante em que você as lê e reflete a seu respeito. Não existe uma resposta genérica, absoluta e verdadeira. A verdade está dentro de cada um.

Mas como descobrir a nossa verdade ? Talvez um pouco de auto-análise. Mas será que isso é possível ? É difícil não ser imparcial ao analisar a si mesmo, levando à dispersão ou a conclusões superficiais ou tendenciosas.

Quando crianças, aprendemos no colégio ensinamentos bem básicos e simplórios. São nas raízes que encontram-se as respostas mais importantes sobre o nosso Eu de hoje. Pra que complicar se podemos sempre simplificar as coisas ? Na própria aritmética do colégio não aprendemos a simplificar as frações, as equações e sistemas ? Por que não fazer o mesmo com as nossas vidas ?

As crianças não estão sempre sorrindo, alegres e felizes ? Um simples sorriso ou gesto de amor e carinho as levam a demonstrar isso. Por que mudamos tanto quando nos tornamos adultos ? Será que ser adulto é involuir ? Certamente que não… O "criador" não seria tão cruel com os homens.

O homem tomou a rédea da sua própria evolução, mas definiu caminhos tortuosos, com imensos obstáculos e abismos.

Nas origens, ao homem foi dada a liberdade total e irrestrita de viver, mas a conjuntura criada pelo próprio homem a tirou de nós. Estamos aprisionados por um modelo social fortemente articulado e enraizado em nossas mentes. Ao nascermos somos catequizados a nos enquadrarmos neste modelo, e com isso nossa alegria natural tende a ir se esvaindo. Se não estamos de acordo com as diretrizes e regras ditadas pelos homens que controlam a conjuntura somos punidos ou marginalizados. Somos levados a acreditar em valores absolutamente estúpidos, egoístas e materialistas (Ex "amigos, amigos / negócios a parte"), como se a relação entre os homens estivessem em um nível inferior à luta pela riqueza, poder e ascensão social.

O homem ao desviar-se da sua essência, sendo forçado a viver fora do seu "hábitat" e modelo de vida natural, é levado a apresentar diversos sintomas decorrentes dos mecanismos psicológicos de defesa criados pela mente humana como reação. A sociedade criada pelo homem está seriamente enferma e a nossa espécie ameaçada de extinção.

Será tudo isso um pesadelo ? Precisamos acordar, e lutar contra ele. Se queremos mudar este cenário, não podemos ficar de braços cruzados esperando que os outros o façam por nós. Medo, passividade, inércia, egoísmo, materialismo, individualismo, mesmo que gerem momentos pontuais de catarse jamais levarão alguém à plenitude. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. É importante acreditar que é possível mudar. As pessoas que acreditam precisam se unir para a construção de um mundo melhor, mais justo e coerente, focado no que realmente importa que é a felicidade, respeito e amor ao próximo.

Ser ou Não Ser... (parte 2)

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.  ~Chico Xavier

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

CPMF - Eu NÃO Aprovo!


http://cpmf-nao.blogspot.com

A CPMF é um lixo em todos os sentidos. A população deve desde já manifestar-se contra este insulto antes que o mal se desenvolva e se concretize. Quem ainda acredita que o valor arrecadado através da CPMF é de fato direcionado para a saúde deve procurar informar-se melhor. Além da CPMF gerar mais recursos para encher os cofres do governo e governantes, alimentando a corrupção e a inflada máquina pública, também serve como espião (Big Brother) para acompanhar o movimento das contas correntes, a fim de aumentar a fiscalização, e por conseguinte mais extorsão e multagem. É deplorável como o governo age. Após os elementos serem eleitos voltam as ações impopulares (impostos, multas, blitz, etc.). Precisamos nos unir para a criação de uma oposição forte e ostensiva que vá além de ações virtuais na internet. O governo precisa ser pressionado de fato pelo povo. A 3a lei de Newton tem que ser colocada em prática. Ação e Reação. Não podemos absorver toda a latrina que o governo nos submete como animais domesticados e submissos.
Participe de nossa causa no Facebook contra o retorno da CPMF:



CPMF - Eu NÃO Aprovo!







Abaixo Assinado em Oposição ao retorno da CPMF. Assinem aqui!

Manifestações dia 20.11.2010 às 11:00 pelo Brasil:

Belo Horizonte: Praça 7 http://ow.ly/3b6uP
Curitiba            : Praça Santos Andrade http://ow.ly/3b6sK
Fortaleza          : Praça do Ferreira http://ow.ly/3b6LC
João Pessoa      : Busto do Tamandaré http://ow.ly/3b6Ff
Manaus             : Praça do Congresso http://ow.ly/3b7Ar
Natal                 : Praça do Relógio http://ow.ly/3aZEu
Porto Alegre     : Esquina Democrática http://bit.ly/9jnP11
Rio de Janeiro  : Posto 6 no Final da Atlântica http://ow.ly/3b6ee 
São Paulo         : Lgo São Francisco http://ow.ly/3b6qQ
Vitória              : Shopping Vitória http://ow.ly/3b6ha

Guarapuava       : Calçadão da XV http://ow.ly/3aZ1B
Mogi das Cruzes: Praça do Rosário http://ow.ly/3b6by

Convocação na Internet. Protesto contra a CPMF: http://ow.ly/3b9qD


“If the structure does not permit dialogue the structure must be changed.”  ~Paulo Freire

“Individually, we are one drop. Together, we are an ocean.” ~Ryunosuke Satoro

“The powerful can kill one, two or three roses, but will never stop the whole spring.” ~Che Guevara

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Alea Jacta Est!


Terminado o período de eleições, agora o nosso papel é acompanhar de perto o desempenho dos políticos eleitos, posicionando-nos quando necessário.

Embora "eles" estejam no poder, cabe a nós pelo menos tentar evitar que sigam caminhos esdrúxulos, contra a nossa vontade.

Não faz sentido "elocubrar" como teria sido se os eleitos fossem outros. Temos que encarar a realidade e lutar juntos por um Brasil melhor.

Se no primeiro mundo a população reage de imediato diante de ações impopulares do governo, no Brasil não deve ser diferente.

Se a Dilma prometeu explicitamente nos seus discursos que sempre apoiará a liberdade de expressão e imprensa, façamos a nossa parte.

Alea Jacta Est!


“Individually, we are one drop. Together, we are an ocean.” ~Ryunosuke Satoro

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Pegadas na Areia


Uma noite eu tive um sonho...

Sonhei que estava andando na praia com o Senhor,
E através do Céu, passavam cenas de minha vida.

Para cada cena que passava, percebi pegadas na areia;
Uma era minha e a outra do Senhor.

Quando a última cena de minha vida passou diante de nós,
olhei para as pegadas na areia,

Notei que muitas vezes no caminho da minha vida
havia apenas um par de pegadas na areia.

Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis
da minha vida.

Isso aborreceu-me deveras e perguntei então ao Senhor:

- Senhor, Tu me disseste que,
uma vez que eu resolvi Te seguir,
Tu andarias sempre comigo, todo o caminho,
- Mas notei que nos momentos das maiores atribulações do meu viver havia na areia dos caminhos da vida, apenas um par de pegadas.
- Não compreendo...
Por que nas horas em que eu mais necessitava Tu me deixastes?

O Senhor respondeu :
- Meu precioso filho, Eu te amo e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do teu sofrimento.
Quando vistes na areia apenas um par de pegadas,
foi exatamente aí que



Eu te carreguei em meus braços...



domingo, 24 de outubro de 2010

Certo ou Errado ?

Desde o instante em que a raça humana começou a ter consciência da sua existência, com o surgimento dos primeiros conceitos de civilização nos deparamos com algumas dualidades que persistem até os dias de hoje: O bem e o mal; o certo e o errado; ser ou não ser…

As pessoas desde que nascem são catequizadas e educadas de forma a se adequarem aos conceitos e padrões sociais, religiosos e morais estabelecidos pelo meio em que vivem. O objetivo de tudo isto é fazer com que haja alguma harmonia comunitária, garantindo assim um bem estar e respeito coletivo com os seus semelhantes.

Considerando o baixo nível de evolução mental e espiritual da espécie humana, uma sociedade sem leis seria no mínimo caótica. Os instintos mais elementares que retornam o homem à sua natureza animal seriam libertados. Amostras deste cenário são freqüentemente apresentadas em filmes de ficção em perspectivas de um futuro sombrio após suposta guerra mundial ou desastre planetário.

Desta forma, desde os primórdios o homem passou a se organizar em grupos, com seus respectivos líderes, os quais naturalmente tendem a definir as leis que regulam o comportamento da massa.

Para que a massa se submeta às leis definidas pelos líderes e assim abrindo mão da sua liberdade, é necessário que haja algum tipo de convencimento, seja através da força, ou pela fé de que as seguindo o indivíduo terá algum benefício (religioso, econômico ou social) que justifique a submissão.

Com o passar dos tempos, as leis tanto de caráter social ou religioso passam a se integrarem nas raízes da sociedade, de forma que os indivíduos desde que nascem tendem a serem educados a aceitá-las como a Verdade. São inoculados temores das conseqüências do não cumprimento das leis (punições, multas, prisão, condenação religiosa, juízo final, ir para o inferno, etc.). Desta forma, ao se tornarem adultos grande parte dos indivíduos tendem a aceitarem naturalmente, "por osmose", a conjuntura a que são submetidos, sem maiores questionamentos.

Os conceitos de "bem ou mal", "certo ou errado", "bom ou ruim", são normalmente avaliados através de uma ótica tendenciosa, baseada em premissas particulares definidas pela conjuntura em que vivemos.

É muito importante que as pessoas abram as suas mentes. Nem tudo é o que parece ser. O que para uns pode parecer muito óbvio, para outros não faz o menor sentido. A Verdade absoluta pode até existir, mas certamente ainda não faz parte do conhecimento do Homem.

Quem chegou até esta parte do texto pode estar questionando: "Onde o autor pretende chegar com este texto filosófico e aparentemente inútil ?"

Vou responder a esta pergunta com um vídeo do Arnaldo Jabor, que faz uma excelente e claríssima reflexão sobre este tema:

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Criança Esperança

Carta aberta, de Eliane Sinhasique, para Renato Aragão, o Didi.

Quinta, 23 de maio de 2009.

Querido Didi,

Há alguns meses você vem me escrevendo pedindo uma doação mensal para enfrentar alguns problemas que comprometem o presente e o futuro de muitas crianças brasileiras. Eu não respondi aos seus apelos (apesar de ter gostado do lápis e das etiquetas com meu Nome para colar nas correspondências)...

Achei que as cartas não deveriam ser endereçadas a mim. Agora, novamente, você me escreve preocupado por eu não ter atendido as suas solicitações. Diante de sua insistência, me senti na obrigação de parar tudo e te escrever uma resposta.

Não foi por "algum" motivo que não fiz a doação em dinheiro solicitada por você. São vários os motivos que me levam a não participar de sua campanha altruísta (se eu quisesse poderia escrever umas dez páginas sobre esses motivos).

Você diz, em sua última Carta, que enquanto eu a estivesse lendo, uma criança estaria perdendo a chance de se desenvolver e aprender pela falta de investimentos em sua formação.

Didi, não tente me fazer sentir culpada. Essa jogada publicitária eu conheço muito bem. Esse tipo de texto apelativo pode funcionar com muitas pessoas mas, comigo não. Eu não sou ministra da educação, não ordeno e nem priorizo as despesas das escolas e nem posso obrigar o filho do vizinho a freqüentar as salas de aula.

A minha parte eu já venho fazendo desde os 11 anos quando comecei a trabalhar na roça para ajudar meus pais no sustento da minha família. Trabalhei muito e, te garanto, trabalho não mata ninguém. Muito pelo contrário, faz bem! Estudei na escola da zona rural, fiz Supletivo, estudei à distância e muito antes de ser jornalista e publicitária eu já era uma micro empresária.

Didi, talvez você não tenha noção do quanto o Governo Federal tira do nosso suor para manter a saúde, a educação, a segurança e tudo o mais que o povo brasileiro precisa. Os impostos são muito altos! Sem falar dos Impostos embutidos em cada alimento, em cada produto ou serviço que preciso comprar para o sustento e sobrevivência da minha família.

Eu já pago pela educação duas vezes: pago pela educação na escola pública, através dos impostos, e na escola particular, mensalmente, porque a escola pública não atende com o ensino de qualidade que, acredito, meus dois filhos merecem.

Não acho louvável recorrer à sociedade para resolver um problema que nem deveria existir pelo volume de dinheiro arrecadado em nome da educação e de tantos outros problemas sociais.

O que está acontecendo, meu caro Didi, é que os administradores, dessa dinheirama toda, não têm a educação como prioridade. Pois a educação tira a subserviência e esse fato, por si só não interessa aos políticos no poder. Por isso, o dinheiro está saindo pelo ralo, estão jogando fora, ou aplicando muito mal.

Para você ter uma idéia, na minha cidade, cada alimentação de um presidiário custa para os cofres públicos R$ 3,82 (três reais e oitenta e dois centavos) enquanto que a merenda de uma criança na escola pública custa R$ 0,20 (vinte centavos)! O governo precisa rever suas prioridades, você não concorda? Você pode ajudar a mudar isso! Não acha?

Você diz em sua Carta que não dá para aceitar que um brasileiro se torne adulto sem compreender um texto simples ou conseguir fazer uma conta de matemática. Concordo com você. É por isso que sua Carta não deveria ser endereçada à minha pessoa. Deveria se endereçada ao Presidente da República. Ele é 'o cara'. Ele tem a chave do Cofre e a vontade política para aplicar os recursos.

Eu e mais milhares de pessoas só colocamos o dinheiro lá para que ele faça o que for necessário para melhorar a qualidade de vida das pessoas do país, sem nenhum tipo de distinção ou discriminação. Mas, infelizmente, não é o que acontece...

No último parágrafo da sua Carta, mais uma vez, você joga a responsabilidade para cima de mim dizendo que as crianças precisam da "minha" doação, que a "minha" doação faz toda a diferença. Lamento discordar de você Didi. Com o valor da doação mínima, de R$ 15,00, eu posso comprar 12 quilos de arroz para alimentar minha família por um mês ou posso comprar pão para o café da manhã por 10 dias.

Didi, você pode até me chamar de muquirana, não me importo, mas R$ 15,00 eu não vou doar. Minha doação mensal já é muito grande. Se você não sabe, eu faço doações mensais de 27,5% de tudo o que ganho.

Isso significa que o governo leva mais de um terço de tudo que eu recebo e posso te garantir que essa grana, se ficasse comigo, seria muito melhor aplicada na qualidade de vida da minha família.

Você sabia que para pagar os impostos eu tenho que dizer não para quase tudo que meus filhos querem ou precisam? Meu filho de 12 anos quer praticar tênis e eu não posso pagar as aulas que são caras demais para nosso padrão de vida. Você acha isso justo? Acredito que não.

Você é um homem de bom senso e saberá entender os meus motivos para não colaborar com sua campanha pela educação brasileira.

Outra coisa Didi, mande uma Carta para o Presidente pedindo para ele selecionar melhor os ministros e professores das escolas públicas. Só escolher quem, de fato, tem vocação para ser ministro e para o ensino. Melhorar os salários, desses profissionais, também funciona para que eles tomem gosto pela profissão e vistam, de fato, a camisa da educação. Peça para ele, também, fazer escolas de horário integral, escolas em que as crianças possam além de ler, escrever e fazer contas possa desenvolver dons artísticos, esportivos e habilidades profissionais. Dinheiro para isso tem sim! Diga para ele priorizar a educação e utilizar melhor os recursos.

Bem, você assina suas cartas com o pomposo título de Embaixador Especial do Unicef para Crianças Brasileiras e eu vou me despedindo assinando... Eliane Sinhasique - Mantenedora Principal dos Dois Filhos que Pari.

P.S.: Não me mande outra carta pedindo dinheiro. Se você mandar, serei obrigada a ser mal-educada: vou rasgá-la antes de abrir.

PS2* Aos que doaram para o criança esperança. Fiquem sabendo, as organizações Globo entregam todo o dinheiro arrecadado à UNICEF e recebem um recibo do valor para dedução do seu imposto de renda. Para vocês a Rede Globo anuncia: essa doação não poderá ser deduzida do seu imposto de renda, porque é ela quem o faz.

PS3* E O DINHEIRO DA CPMF QUE PAGAMOS DURANTE 11(ONZE) ANOS? MELHOROU ALGUMA COISA NA EDUCAÇÃO E NA SAÚDE DURANTE ESSES ANOS?

BRASILEIROS PATRIOTAS DIVULGUEM ESSA REVOLTA....


terça-feira, 17 de agosto de 2010

Call to Arms : Está na hora de mudar!


Sentado em uma poltrona desconfortável de um avião a 9.000m de altura, esperando o tempo passar, comecei a refletir sobre o que tenho escrito nos últimos meses e publicado neste blog.

Basicamente os meus posts têm o objetivo de fazer com que o leitor reflita sobre o contexto em que vivemos,  procurando ajudá-lo de alguma forma a viver a vida mais intensamente, buscando sempre a sua felicidade, em conjunto com o todo.

Alguns posts têm sido de caráter filosófico, abordando a visão da vida pela maioria das pessoas, e apresentando formas alternativas que nos levem mais naturalmente à felicidade. Outros de caráter histórico, tentando explicar os motivos que levaram a sociedade à conjuntura atual.

Com relação às minhas publicações com abordagens sociológicas e políticas, procurei elucidar alguns dos problemas que passamos nos dias de hoje em nosso país, os quais são decorrentes da conjuntura político-social em que vivemos.

O Brasil de hoje é um país que está em crescimento contínuo, mesmo com o elevado índice de corrupção de grande parte de nossos políticos. O Brasil possui dimensões continentais, com riquezas naturais por toda parte, condições climáticas não agressivas em grande parte de seu território, contém a maior floresta do mundo, riquíssima por sua bio-diversidade, e quase por unanimidade mundial é considerado a "potência mundial do futuro".

Por outro lado, ao analisarmos a pirâmide social de nossa população constataremos que apresenta um perfil esdrúxulo. O Brasil é um país que apresenta uma grande desigualdade social, onde 10% da população representada pelos mais ricos possui cerca de 50% da renda de todo o país, e 50% da população representada pelos mais pobres possui apenas 10% da renda. Além disso, os 1% localizados no topo da pirâmide social (os mais ricos) possuem uma parcela de renda superior a da metade de toda a população brasileira (mais pobres).

Sendo assim, que sentido tem o Brasil ter toda essa excelência se a grande massa de nossa população não usufrui de tais recursos ? Será que convém à minoria que controla o nosso rico país que a massa se eleve socialmente a ponto de questionar o seu poder ?

Como eu já disse em posts anteriores, boa parte dos políticos de nosso país, principalmente no poder executivo, consideram o Estado a sua empresa particular. Investem milhões em suas campanhas demagógicas para chegarem ao poder e através deste realiza todo o possível para retornar o seu investimento, com elevada rentabilidade.

Não importa se em outra ocasião o político já foi "povo". Quando alcançam o poder realizam medidas maquiavélicas e impopulares, buscando o aumento da arrecadação do Estado a qualquer custo. Seja através de novos impostos, multas, aumento das taxas e tarifas, maior severidade na fiscalização de pessoas físicas ou jurídicas, investimento elevado na tecnologia quando usada no apoio à fiscalização e multagem, entre outras.

Não é à toa que o Brasil é um dos países com o maior nível de tecnologia associada às eleições, já que é através da política que a minoria se mantém permanentemente no poder. Quanto maior a verba do Estado disponível para a realização de projetos, maior a lucratividade dos políticos, que de alguma forma acabam obtendo parte desta verba para si. Assim se explica esta corrida desesperada, desenfreada e maquiavélica pela a implantação de medidas que aumentem a sua arrecadação, independente da aprovação ou não do povo.

Considerando que nossas eleições "ainda" são diretas, teoricamente o povo teria condições de não reeleger os elementos que não agradarem. Porém isso não funciona assim. Dado que a maioria da população vive na pobreza, e por conseguinte não possui um nível educacional decente, fica fácil para os políticos obterem seus votos através de presentes e benefícios diretos às comunidades ou congregações religiosas que participam. Desta forma se torna possível a um político se perpetuar no poder, mesmo apresentando comportamento e ações indesejáveis e impopulares em seus mandatos.

Dada esta conjuntura, qual é a solução que podemos vislumbrar para a mudança deste cenário ?

Em longo prazo, o investimento na educação é a solução. Por mais que se procure procrastinar a elevação do nível educacional da população, não é digno que nosso povo permaneça como está.

O brasileiro tem apresentado nas últimas décadas um perfil absolutamente passivo. Ele se satisfaz com o seu chopp, futebol, samba, entre outras "drogas" que lhes são oferecidas para desviarem o foco dos problemas político-sociais.

A minoria pensante precisa no mínimo se unir e manifestar-se de forma inteligente e incessantemente, com perseverança. O país é nosso, pertence a todos. Os políticos são nossos empregados que existem para nos servir. Se não estiverem agradando devem ser demitidos. Com o povo unido, ganhamos força e podemos estabelecer um mecanismo de pressão permanente em cima dos políticos que governam o nosso país. Já existem movimentos localizados, através da internet que tem crescido substancialmente nos últimos anos. Chegamos a ponto do governo do Rio de Janeiro querer impor censura ou o fechamento do Orkut, para evitar que suas ações indesejáveis sejam elucidadas para o povo. Isso é sinal que eles já estão sendo incomodados. Mas isso não é suficiente. Cada leitor que achar que minhas palavras são válidas, deve pensar de que forma pode ajudar na luta por um país melhor, governado de fato pelo povo, e não por uma minoria que busca apenas os seus interesses.

Através da inteligência e união podemos lutar juntos por um Brasil melhor. Da mesma forma que os políticos articulam para obter e permanecer no poder, cabe ao povo fazer com que eles cumpram o seu papel, de nossos servidores. Medidas impopulares devem ser rechaçadas, através de uma oposição dura e persistente. A oposição somos nós mesmos. Não podemos esperar que os outros façam aquilo que nos cabe. Se as eleições estão por vir, não adianta simplesmente manter-se descrédulo e impassível. É importante acreditar, divulgar, denunciar, lutar pelos seus direitos, fazer o seu papel de cidadão.

Como disse Júlio César,

“Alea Jacta Est!”

“Washing one's hands of the conflict between the powerful and the powerless means to side with the powerful, not to be neutral.” ~Paulo Freire

“If the structure does not permit dialogue the structure must be changed” ~Paulo Freire

“Individually, we are one drop. Together, we are an ocean.” ~Ryunosuke Satoro

domingo, 18 de julho de 2010

À procura da Felicidade

É comum nos dias de hoje uma grande parte de jovens e adultos que tenham algum tempo ocioso começarem a questionar as suas vidas, ou os seus momentos, e concluírem que estão com tédio, infelizes, depressivos ou algo semelhante.

As pessoas que mantém-se ocupadas na maior parte do dia em geral não sofrem tanto este tipo de sintoma, uma vez que levam boa parte de suas vidas em piloto automático. Mesmo assim podem vir a ter crises pontuais.

O que nos leva à tal situação ? Já escrevi em outros posts sobre o comportamento de animais colocados em ambientes não apropriados para o seu convívio. O homem também é um animal, portanto a princípio deveria sofrer sintomas decorrentes de sua insatisfação, muitas vezes inconsciente, associada ao contexto em que vive.

Mas o homem mesmo sendo um animal, também é ou deveria ser racional. Através de sua racionalidade ele poderia lutar pela mudança do contexto, tornando-o favorável. Mas poderia também procurar ver a vida por outro ângulo, libertando-se dos conceitos sociais que são inoculados em nossas mentes desde que nascemos, e que acabam por levar-nos ao que somos hoje.

A sociedade para nos manter de pé vivendo em função dela, disponibiliza "drogas" que proporcionam uma pseudo felicidade pontual, temporária e volátil, que quando passa o efeito o indivíduo retorna à sua situação anterior. Estas "drogas" podem ser desde narcóticos no sentido literal da palavra, assim como jogo, futebol, álcool, carnaval, samba, paixão, religião, etc. Se o indivíduo não "acordar", viverá desta forma até o fim de seus dias, com ciclos contínuos de muitos momentos nulos ou depressivos, alternados com pequenas alegrias.

Empiricamente pode-se observar que a terceira lei de Newton também se aplica diretamente em nossas vidas. A harmonização com o universo (pensamentos positivos, fazer o bem às pessoas, ao planeta, animais, ao todo), irá gerar uma "energia positiva" de mesma natureza em sua direção. Isso não é sonho, utopia nem magia. Mas se ao contrário disso você prejudicar a vida de alguém, provavelmente ficará marcado em sua mente e isso poderá um dia retornar de alguma forma, seja a nível material, psíquico ou espiritual.

A resposta que procuramos está bem na frente de nossos olhos. Basta liberar as emoções e sensibilidade, olhar e harmonizar-se com o universo que está ao nosso redor. A nossa vida por si só já é um presente. As emoções, sentimentos, as pequenas visões, aromas, pessoas, plantas, animais… Temos um universo infinito, que nos cerca e pulsa, como um organismo vivo que está por toda parte, disponível para a nossa compreensão e integração.

As experiências que passamos, desde as mais simplórias, são sempre únicas. Pertencem exclusivamente ao indivíduo que a vivenciou. Ao longo da vida acumulamos inúmeras experiências que estiveram presentes em diversas fases que vivemos, e ocasionaram a nossa evolução.

Talvez alguns leitores não estejam visualizando onde quero chegar com isso. Acreditem ou não, nós fomos "projetados" para sermos felizes. E a felicidade está em alcançar o amor em sua plenitude, em sentido amplo, desprendido de egoísmo, poder e materialismo.

Procure libertar-se de sentimentos não construtivos tais como a inveja, o egoísmo, o ódio, o desamor, o desejo de vingança, a super valorização de bens materiais. Evite julgar ao próximo, ou tentar crescer através do rebaixamento de outra pessoa.

A proposição de muitas religiões podem parecer paradoxais em uma primeira visão, como por exemplo a oração de São Francisco quando diz "é dando que se recebe", "é perdoando que se é perdoado"… Por que paradoxais ? Porque se o indivíduo pensar em realizar tais atos a fim de buscar "receber", "ser perdoado", ou algum outro benefício pessoal, ele não terá compreendido a essência destas palavras. Da mesma forma, quando as religiões espíritas pregam que o indivíduo deve fazer o bem para alcançar a sua evolução espiritual, embora esta afirmação pareça a princípio óbvia, é necessário algo a mais.

O amor deve ser sempre gratuito e unilateral, sem a preocupação de evoluir, receber, ser perdoado, gratificado, ou ir para o "céu". É este amor ao próximo gratuito, a caridade pura, a compreensão do amor em sentido amplo, é que nos levam a atingir a felicidade em sua plenitude.


“Being happy doesn't mean that everything is perfect. It means that you've decided to look beyond the imperfections.”

“We tend to forget that happiness doesn't come as a result of getting something we don't have, but rather of recognizing and appreciating what we do have.”  ~Frederick Keonig

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Oração de São Francisco de Assis


Procure aplicar estas palavras em sua vida. Você verá que tudo ao seu redor se tornará diferente, e sua vida nunca mais será como antes...

SENHOR, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união,
Onde hover dúvida, que eu leve a Fé,
Onde houver erro, que eu leve a verdade,
Onde houver desespero, que eu leve a esperança,
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria,
Onde houver trevas, que eu leve a luz,
Ô Mestre, fazei que eu procure mais, consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar, que ser amado, pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a vida eterna...


The world is indeed appreciating the need to join hands to build a better world today.

Dedico este post a RONALD STRESSER JR.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Em busca do AMOR...

Recebi hoje o email de um amigo, que fala de amor. Não o amor entre duas pessoas, mas um amor global que  talvez seja o caminho para se alcançar a plenitude. Este AMOR é o tema do meu texto a seguir.

A resposta que procuramos está associada à compreensão da verdadeira natureza do universo, e de nós mesmos. A harmonia com o universo nos proporciona perceber e aprender, com a constatação feliz e profunda de que estamos todos ligados, e somos tão infinitos quanto o universo, em sua multi-dimensionalidade. Desta forma aprendemos um novo conceito de AMOR, que é a nossa conexão maior com o todo, e daí a compreensão de outros mistérios se torna mais clara.

Esta é a mudança que o planeta Terra tanto precisa e anseia, a de transpor este grande portal, o paradigma que nos aprisiona até hoje, devido a um sistema de valores e de vida que nada mais são do que rédeas que não nos permitem evoluir e expandir.

Atualmente, com a perspectiva do início de uma nova Era, novas possibilidades estão mais disponíveis para todos. Porém cabe a cada um descobrir o seu caminho.

Devemos procurar aprender a humildade, simplicidade, tolerância, objetivando alcançar a PAZ profunda, e o AMOR em dimensões muito mais amplas do que costumamos ver. Desta forma aprendemos a lidar melhor com o EGO e a integrá-lo ao nosso ser dito Superior, que vai além do que somos nesta vida. São os nossos dois "EUs" que aprendemos a identificar e integrar.

Dedico este post ao meu amigo @lsantac, que muito contribuiu com sua sabedoria e amizade.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

2012 - Na Esperança de um Futuro melhor

Desde o início da humanidade supostos profetas vêm fazendo previsões para o futuro da humanidade. Dentre uma grande massa de dados de possibilidades, sempre há alguns erros, e acertos. Porém alguns destes profetas tornaram-se famosos e suas previsões passaram a ser consideradas como sérias devido a supostos acertos, mesmo que tenham sido baseados nas interpretações de metáforas, ou tentativa de "tradução" para o mundo de hoje os termos utilizados no tempo em que viviam.

A própria Bíblia cita no livro do Apocalipse que a Era em que vivemos terá um fim. Nesse fim, no meio de guerras e catástrofes Jesus Cristo retornaria para resgatar aqueles que enquanto vivos seguiram a "palavra". A observação da proximidade deste fim se daria através de sinais, tais como o homem passando a utilizar dispositivos eletrônicos a fim de controlar ao próprio homem. No mundo de hoje este tipo de controle já é utilizado em larga escala e para diversos propósitos.

Nostradamus - um respeitado profeta que viveu entre 1503 e 1566, e que supostamente acertou profecias tais como a queda da União Soviética ( "Um dia serão amigos os dois grandes chefes…" ), disse a seguinte frase: "Até 1.000 irás, mas de 2.000 não passarás". Já passamos do ano 2.000, porém interpretações diversas do seu texto sempre poderão ocorrer tais como a base de referência dos anos, se ele utilizou o termo 2 mil pensando q não chegaria a 3.000, e assim por diante.

Em livros que procuram interpretar as profecias de Nostradamus, encontram-se as previsões citadas a seguir, entre outras. Nos anos 80 seria descoberto um novo corpo celeste em nosso sistema solar. Em um dado momento as relações entre o ocidente e oriente estariam tão estremecidas, que haveria uma 3a grande guerra mundial. No meio desta guerra, este copo celeste chegaria a uma proximidade da Terra que causaria muitas catástrofes. O nível de devastação e número de mortes seria tão elevado que a guerra chegaria ao fim, e a população remanescente se juntaria para criar uma nova civilização, dando início à próxima Era com maior grau de evolução da raça humana.

A título de curiosidade, existem matérias divulgadas que citam um tal planeta com o nome de "Nibiru" (ou Planeta X), o qual teria de 4 a 8 vezes a massa da Terra, e cruzaria o nosso sistema solar a cada 'n' mil de anos. Este planeta supostamente estaria próximo da Terra entre o fim de 2012 e início de 2013. Diz-se que em outras ocasiões a passagem deste planeta causou mega catástrofes na Terra (ex.: dilúvio / arca de Noé).

Um outro relato polêmico foi a passagem em nosso sistema solar por um cometa (NEAT) em 2003. A sua verdadeira dimensão é incerta, dado que uns dizem ser maior do que Júpiter, e outros equivalente a Mercúrio. Este cometa estava em uma trajetória de colisão com o Sol. Porém quando chegou bem próximo, ocorreu uma explosão solar e o cometa haveria se desviado da rota de colisão. Considerando a magnitude de sua dimensão, uma colisão com o Sol poderia ter causado uma explosão tão violenta que teria "torrado" a Terra.

Desde o início do século XX, percebeu-se que o polo magnético norte da Terra estava sendo deslocado na direção da Rússia, com velocidade cerca de 15km/ano. Em matéria recentemente publicada pela National Geographic, a velocidade de deslocamento já estaria a 60km/ano, e no presente momento o polo norte já estaria situado nas ilhas canadenses ao nordeste do continente americano. O deslocamento poderia ser explicado pelo movimento do ferro fundido contido no centro da Terra. Este fenômeno poderia se acentuar a ponto de ocorrer uma inversão da polaridade da Terra, com conseqüências imprevisíveis.

Da mesma forma que existem as previsões fatalistas, há publicações científicas que as desmentem:

Fontes e referências: AstroPT: 2012 – Fim do Mundo

Fonte: Eternos Aprendizes

2012: Don Yeomans, cientista da NASA e coordenador do programa NEO, explica o que não vai acontecer em 2012
Seth Shostak do instituto SETI fala sobre o tema 2012 e comenta o filme
2012: Dr. Neil deGrasse Tyson fala sobre o tema e explica sobre o alinhamento galáctico
2012: Não haverá tempestade solar assassina
2012: Não haverá inversão dos pólos magnéticos da Terra
2012: Não Haverá o ‘Fim do Mundo’
2012: Não haverá Planeta X
2012: o Planeta X não é Nibiru
2012: Não haverá nenhum cometa assassino, Nibiru ou Planeta-X


Há também publicações espíritas, que dizem ser o planeta Nibiru um portal interdimensional. A Terra estaria passando pelo fim de uma Era. A passagem deste corpo não seria necessariamente visível por nossos olhos, porém funcionaria como um planeta "Chupão" (citado pelo médium Chico Xavier), de menor vibração, o qual atrairia os espíritos menos evoluídos para seguirem uma nova jornada. Desta forma, os que permanecessem na Terra seriam supostamente os mais evoluídos, e assim o nosso planeta passaria para uma nova Era, com maior grau de desenvolvimento espiritual.

Pelo visto o nosso futuro ainda está indefinido. Porém temos que observar desde já os sinais que nos cercam. O homem tem destruído o planeta cada vez mais intensivamente. O respeito aos seres vivos, inclusive ao seu semelhante está cada vez menor. O materialismo e consumismo exacerbado impera no mundo atual, incentivado pela mídia. Nossos recursos naturais estão em processo acelerado de extinção. Estamos cada vez mais acuados, reprimidos e fiscalizados pelo sistema, e somos levados a viver confinados em uma rotina até o fim de nossas vidas. Será que isso pode mudar, sem que ocorra uma mega catástrofe que abale a estrutura do sistema ? O "Universo" nos tem dado várias chances para começar esta mudança. Pode ser que chegue um momento em que "Ele" desista de esperar por nossa atitude, e resolva agir por conta própria...

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim. ~Chico Xavier

sábado, 19 de junho de 2010

Vivendo a vida...

Uma criança nasce. O novo ser é retirado de seu casulo protegido, aconchegante, e pela primeira vez se depara com o mundo em que viverá por toda a sua existência. Com o corte do cordão umbilical o bebê torna-se um ser desvinculado do organismo da mãe, e pela primeira vez ele precisará respirar por conta própria. Além da possibilidade de ser dolorosa a primeira vez em que o ar entrar em seus pulmões, o bebê poderá engasgar-se com o líquido aminiótico, então o médico poderá ainda dar-lhe umas palmadas para que chore e facilite a sua primeira respiração. Assim nascem a maior parte dos bebês em nossa sociedade.

A criança é então educada e preparada para conviver em sociedade de forma politicamente correta, seguindo as suas leis e religiões, e treinada para exercer uma profissão futura com o objetivo de sustentar a si mesma, sua família, e vencer na vida. A sociedade foi concebida e projetada com foco na produção e consumo de bens materiais a serem conquistados. Como o ser humano jamais se saciará através do material, sua ambição torna-se crescente e intensa, em uma luta sem fim por uma felicidade pontual temporária, que irá durar até que seja definida sua nova meta de conquista, na qual serão depositadas todas as suas expectativas. Ou seja, desta forma jamais é alcançada a plenitude e sempre fica a impressão que falta algo em nossas vidas, mas sem sabermos exatamente o que.

Se pararmos pra analisar, na nossa conjuntura atual uma pessoa gasta em média 20h/dia ou mais entre horas de sono, trabalho, estudo, meios de transportes, alimentação, pagamento de contas, obrigações de rotina, entre outros. É como se o homem estivesse condenado a viver reprimido em uma prisão virtual, com sua liberdade restrita, tendo que cumprir obrigações diárias e sem fim.

A tendência natural é o indivíduo esquecer que está vivo, ligar o piloto automático e seguir com o seu dia a dia, mês a mês, ano a ano, enquanto durar a sua existência. Alguns momentos de prazer lhe são proporcionados para o esquecimento e aceitação da conjuntura.

Várias pesquisas e experiências realizadas com animais comprovam que quando colocados fora do seu habitat, em circunstâncias anômalas ou desfavoráveis ao seu padrão natural, demonstram alteração no comportamento (violência, estado depressivo, inquietação, perda de apetite, etc.), podendo até mesmo levar a morte.

O homem é um ser racional. Sua mente pode reagir consciente ou inconscientemente dependendo do contexto em que o indivíduo for submetido. Conforme descrito em posts anteriores, diversos mecanismos de defesa podem ser desenvolvidos como reação a uma situação desfavorável. O organismo humano funciona como um conjunto. Quando a mente não está bem, os órgãos poderão sofrer conseqüências indiretas e apresentar doenças, as quais podem levar a estados ainda mais depressivos.

De acordo com pesquisas realizadas (vide posts anteriores) 73,6% da população está comprometida em graus diferentes de algum tipo de transtorno psicológico. Sendo assim, considerando a perfeição do universo em que vivemos e as pesquisas realizadas com animais, o mais lógico seria concluir que a mais provável explicação para isto é que o homem encontra-se em um contexto desfavorável à sua existência. O mais curioso de tudo, é que o homem é o próprio criador deste contexto. Será que o homem é um ser naturalmente masoquista, ou é incapaz de construir uma sociedade que o leve a atingir a sua plenitude ? Ou talvez acabe sempre sendo conduzido por grupos dominantes, com foco em poder e no controle dos bens materiais da humanidade ? Talvez a maioria das pessoas nunca tenham parado pra pensar e perceber a nossa realidade.

Reflexão : Quem projetou o modelo de mundo em que vivemos ?

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.  ~Chico Xavier

terça-feira, 15 de junho de 2010

A Origem da Vida

O universo é um "projeto" absolutamente perfeito e harmônico, desde o nível micro ao macro. Em linhas gerais pode-se definir modelos com muitos pontos em comum para diversas de suas estruturas. Desde a constituição da matéria onde nos átomos temos um núcleo com elétrons girando ao seu redor. Passamos pelo sistema planetário, onde satélites giram em torno de planetas. Cometas, asteróides e planetas giram ao redor de estrelas, as quais giram em torno do núcleo da galáxia como um complexo estelar.

A nível ainda mais macro temos as galáxias, com uma maior concentração de estrelas e buracos negros no seu centro. Com as provas que temos demonstra-se que as galáxias estão em processo de afastamento umas das outras (universo em expansão). Baseado nisso construiu-se a teoria que o nosso universo surgiu a partir de uma grande explosão (Big Bang) de um ponto singular com hiper concentração de matéria e calor, a cerca de 14 bilhões de anos atrás. Estima-se que a nossa galáxia tenha em torno de 200 bilhões de estrelas, sendo que 6 bilhões delas possuam sistemas planetários como o nosso. E considerando apenas a parte "visível" do nosso universo, estima-se que possua cerca de 125 bilhões de galáxias. Além disso tudo, segundo Einstein e outros cientistas, prova-se matematicamente a existência de universos paralelos ao nosso, porém ainda completamente desconhecidos.

O homem é apenas um elemento minúsculo, quase infinitesimal, quando comparado com universo desconhecido no qual fomos "colocados". Estamos apenas engatinhando, procurando compreender as regras mais básicas que compõem este universo através de estudos e observações. Já no século XVIII, o ilustre cientista Antoine Lavoisier foi o primeiro  a enunciar o princípio da conservação da matéria, sintetizada por sua famosa frase: "Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma".

Em um modelo tão complexo e perfeito do universo, onde entra a vida ? Será que é apenas um processo químico e físico, baseado em meras reações entre elementos da matéria ? Ou é um novo elemento que compõe o grandioso e misterioso universo em que vivemos, o qual ainda é completamente desconhecido pelo homem ?

A própria origem do homem é questionável. Acredita-se que a origem da vida na Terra partiu da formação aleatória de coacervados (aglomerados de moléculas proteicas envolvidas por moléculas de água), dadas as condições do planeta a mais de 3 bilhões de anos atrás. Teoricamente os animais que existem hoje inclusive o homem, surgiram do resultado de uma série de mutações sofridas a partir destes coacervados. Talvez a parte terrestre do planeta fosse toda unida, de forma que o homem pudesse espalhar-se por todo o seu território antes da separação dos blocos, dado que quando os continentes foram "descobertos" por Cabral, Colombo, etc já existiam indígenas ou outras raças os habitando. Mesmo assim, como o homem sobreviveria a um processo tão violento que ocasionaria a separação dos continentes ?

O homem precisa ter a humildade em reconhecer que pouco sabe, e pelo menos admitir hipóteses, sem preconceitos, da existência do desconhecido, mesmo que ainda não se encaixe nas teorias provadas cientificamente até o presente momento.

Mentes abertas são mentes que brilham, ou que estão preparadas para brilhar e iluminar ao próximo.




Size Of The Universe

I am the wisest man alive, for I know one thing, and that is that I know nothing. ~Socrates

quinta-feira, 10 de junho de 2010

A Ilha

No dia 28 de agosto de 2006 um trabalhador e pai de família termina o seu dia de serviço, sai do escritório e vai para a rua iniciando sua jornada de volta para casa.

Um outro cidadão entra em um bar, pede uma cerveja, e começa a degustá-la.

Ao dirigir-se para o seu carro, o trabalhador passa pelo bar.

Em um movimento súbito, o cidadão que estava no bar larga a cerveja, aproxima-se por trás, e dispara dois tiros a queima-roupa terminando ali com a vida do trabalhador.

Este crime é apenas mais um retrato da sociedade hipócrita, paradoxal, passiva e ignorante em que vivemos.

Se um trabalhador anda pelas ruas, corre o risco tanto de ser assaltado, assassinado ou furtado, assim como abordado pela policia ou guarda municipal e ser multado, intimado, extorquido, ameaçado, ou até mesmo ser preso.

Que pais é esse ?

O estado para ter o direito de cobrar do cidadão comum rígidos deveres tais como altíssimos impostos, multas e fiscalizações severas e maliciosas que sempre acham algo de errado na sua pessoa ou na sua empresa, tem no mínimo a obrigação de fornecer à população uma contrapartida à altura, tal como saúde, saneamento, educação, segurança e condições dignas de vida. Do jeito que é hoje, parece que os fora da lei, os fugitivos, os ilegais, são cidadãos comuns, e não os verdadeiros criminosos e corruptos. E os trabalhadores é que acabam sendo o foco das perseguições, fiscalizações e cobranças ostensivas realizadas pelo Estado. Afinal, é sempre mais fácil cair em cima dos mais fracos, porque assim tem-se maior chance de sucesso e menor risco de retaliações.

Em um estado forte tal como China, EUA, Inglaterra, entre outros, organizações criminosas explicitas e declaradas não tem sobrevida. As autoridades de fato as desmontam com eficiência e objetividade. Se aqui no Brasil estas organizações crescem e se tornam mais poderosas a cada dia, é porque as autoridades não tem interesse na sua extinção de fato.

Pelo contrario, vemos políticos colocando quase sempre seus interesses pessoais e vaidades em primeiro plano. Os candidatos que estão vencendo nas pesquisas muitas vezes nem comparecem aos debates para não correrem riscos. A corrupção quase sempre acaba sendo mascarada e ocultada, permanecendo os supostos réus impunes. Às vezes, para não parecer absolutamente ridículo alguns elementos são colocados como "bodes expiatórios", assumindo a culpa no lugar de todo um grupo de corruptos.

E o povo permanece na ignorância, votando nos mesmos candidatos, esquecendo o seu passado, as antigas promessas não cumpridas, e acreditando nas atuais.

O país pertence ao povo, e não o povo ao país. Os políticos são empregados do povo, e não o povo dos políticos. As verbas públicas existem para que sejam realizadas obras em beneficio do povo, e não para o enriquecimento de políticos e alimentação da rede de corrupção. As leis existem para o bem estar da comunidade, e não para oprimir, punir e prejudicar as pessoas que levam a vida com dignidade.

A sociedade de hoje tem um comportamento absolutamente passivo e omisso às insatisfações e injustiças. Se em algum momento o cidadão sentir-se prejudicado, ele deve manifestar-se de forma ativa, organizada e severa, demonstrando claramente sua insatisfação, e forçando os poderes públicos a se submeterem à vontade do povo.

Hoje em dia fica difícil decidir se fugimos dos criminosos, da policia, ou dos fiscais. Isso tem que mudar. Viver bem é um direito do cidadão, e fazer com que o cidadão viva bem é um dever do estado.

Quem tem dúvida se é possível mudar, veja o vídeo a seguir...





“Individually, we are one drop. Together, we are an ocean.”
 ~Ryunosuke Satoro


Dedico este texto ao meu grande amigo Leonardo Tamm Drumond, assassinado na noite de  28 de agosto de 2006, no centro do Rio de Janeiro.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

O Homem e a Máquina


“A patriot must always be ready to defend his country against his government.” ~Edward Abbey

“Tornou-se chocantemente óbvio que a nossa tecnologia excedeu a nossa humanidade.”
 ~Albert Einstein

Há alguns anos atrás quando víamos filmes a respeito de um suposto futuro distante, muitos achavam que não passava de uma mera ficção científica. Mas aquele futuro se tornou o nosso presente.

Será que os escritores e produtores de filmes são visionários ? Ou na verdade através de suas ficções apresentam perspectivas de futuro concebidas por suas mentes criativas, as quais acabam se tornando ideias e "sugestões" para os grandes "players" e empresários do mercado desenvolverem e as tornarem reais. Na verdade não se pode generalizar e justificar o futuro com duas ou três frases, mas de fato existe uma tendência a qual podemos claramente constatar. A tecnologia tem sido criada pelo homem não apenas para melhorar as nossas vidas, mas também para nos controlar.

Como já abordei em posts anteriores, para os que acreditam na Bíblia está escrito no apocalipse que no fim dos tempos o homem chegaria a ponto de inserir um chip em sua pele, como uma carteira de identidade digital. Sem isso ele seria discriminado pela sociedade e não mais poderia vir a realizar diversas operações.

É claro que tudo isso pode ser justificado como um benefício para a sociedade. Mas vale a pena refletir um pouco, afinal este é o objetivo do meu blog.

Será que é mesmo razoável projetar um futuro em que o homem é absolutamente controlado digitalmente por outros homens através de dispositivos eletrônicos ? Se pararmos pra pensar este futuro já começou a existir.

Cada vez mais o governo tem utilizado computadores de alta capacidade de processamento para verificar se os cidadãos têm reportado com exatidão tudo aquilo que realizaram, compraram ou pagaram ao longo dos últimos anos. Caso seja verificada alguma inconsistência, o indivíduo é punido.

Mesmo andando pelas ruas situações similares ocorrem. Se nossos veículos ultrapassam linhas, se o ponteiro do velocímetro não está apontando para um número permitido, se o seu IPVA não foi pago no prazo, se sua carteira de motorista está vencida, se ainda não realizou a vistoria anual, ou até mesmo se comeu um bombom de chocolate com licor, você poderá ser punido, multado, ter o seu veículo apreendido ou até mesmo ser preso e processado. Já há iniciativas do governos visando também a punição de pedestres que venham a cometer atos "irregulares" ou "indesejáveis".

Muitos podem achar que tais medidas são benéficas à sociedade, mas estas pessoas deveriam refletir um pouco mais profundamente antes de chegar a tal conclusão.

Lembrem-se que a tendência é sempre piorar. Hoje em dia o controle está da forma citada acima. Mas como estará daqui a 10, 20, 50 anos... ?

Se o objetivo fosse algo construtivo de fato, o foco do governo seria o investimento na educação da população ao invés de punição e multagem. Podem dizer também que isto é utópico. Pode levar 10, 20 ou 50 anos, mas com certeza é possível.

Mas infelizmente o objetivo da maioria dos governantes é simplesmente arrecadar mais para beneficiar-se mais pessoalmente (quem quiser saber como ler o post anterior - "Segundas Intenções"). A prefeitura do Rio está chegando a ponto de investir na aquisição de aviões não tripulados (aeromodelos), controlados por controle remoto para monitorar a cidade, com o objetivo de coibir o recebimento de "propinas" pelos guardas e policiais, aumentando assim ainda mais a sua arrecadação.

É bom lembrar que a poucos anos, junto com a "Lei do Trânsito" foi criada a inútil guarda municipal. Além da grande maioria de seus membros não auxiliarem em nada na organização do trânsito nem na segurança da população, pelo contrário, o seu objetivo principal é apenas a multagem (tem metas de multas e são comissionados ?) e aumento da arrecadação da prefeitura. Além desta instituição ser inútil, ainda temos que pagar os seus custos, como cidadãos (se é que a mesma não é até lucrativa devido ao grande volume de multas que produz). O governo aprovou em congresso a criação desta guarda municipal. Será que o povo concorda com a sua existência ? Eu sinceramente acho que não... O povo brasileiro tem necessidades muito mais básicas como a saúde, educação e saneamento. Mas como investir nestas áreas não é tão lucrativo para o governo, sua prioridade fica bem abaixo do trânsito, que dá um retorno garantido. Por exemplo, a prefeitura do Rio teve em 2009 a maior arrecadação em multas de trânsito da sua história. Isto está trazendo benefícios para a população, ou para o prefeito ? O governo pode até apresentar diversas justificativas, mas não passam de meros pretextos apoiados pela mídia. O único e verdadeiro objetivo é o aumento de sua arrecadação.

O povo precisa tomar atitude para que a tendência de um futuro sombrio de sermos controlados absolutamente seja revertida. É preciso acreditar e lutar sem medo pelos nossos sonhos e ideais, independente se são aparentemente utópicos ou não, caso contrário em muito breve nossas vidas serão tais como apresentadas nos filmes de ficção científica. Lutando pelo bem comum da humanidade, o universo conspira em nosso favor. Várias fontes dizem que uma nova Era está para começar, onde haverá uma elevação espiritual da humanidade. Cabe a nós contribuirmos para este processo de evolução. Ou será mesmo necessário que haja uma catástrofe para que o homem seja capaz de perceber a absoluta inversão de valores no mundo em que vivemos...

A verdade por trás da Lei Seca.



“Individually, we are one drop. Together, we are an ocean.”
 ~Ryunosuke Satoro

“Must a government be too strong for the liberties of its people or too weak to maintain its own existence?” ~Abraham Lincoln

terça-feira, 18 de maio de 2010

Segundas Intenções

A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza.

Amo o público, mas não o admiro. Como indivíduos, sim. Mas, como multidão, não passa de um monstro sem cabeça. ~Charles Chaplin

A mente humana é uma estrutura hiper complexa, a qual é objeto de inúmeros estudos buscando a sua compreensão.

Estudos realizados constataram que o ato de presentear alguém, tanto no sentido material quanto a nivel de fazer o bem, geram uma satisfação igual ou maior do que a de ser presenteado.

Porém a estrutura da sociedade em que vivemos faz com que as pessoas cada vez mais deixem de refletir sobre si mesmas, e vivam em um plano primário buscando incessantemente a sua felicidade através da conquista de bens materiais. Como bens materiais jamais deixarão o homem saciado, esta busca torna-se interminável, e as pessoas nunca estão satisfeitas. Tentamos explicar as razões de termos chegado a este ponto em posts anteriores do blog.

A mente humana é mais poderosa do que um super computador, principalmente na forma analítica em que processa as informações e busca soluções e caminhos para chegarmos aos nossos objetivos. Tanto no caminho do "bem", quanto no do "mal". Embora eu não costume utilizar estar palavras, vamos conceituar o "bem" como algo realizado em benefício de terceiros, e "mal" o contrário.

Em posts anteriores mostramos que a sociedade em que vivemos é essencialmente focada em metas definidas pelas classes dominantes e detentores do poder ao longo de sua história. O pessoa desde que nasce recebe por "osmose" informações que a levam a focar sua educação e vida na busca de sucesso, enriquecimento, poder, destaque, etc. A justificativa é que tais realizações a levariam a atingir a felicidade e plenitude, para si e seus descendentes. Assim são formadas as pessoas que irão um dia chegar ao poder e liderança, mantendo este modelo social.

Em uma sociedade constituida por milhões de pessoas, chegar ao poder não é algo simples. É claro que se um dia surgir alguém iluminado que toque o coração do povo sua ascensão pode vir a ser natural, mas em 99.9% dos casos tal situação não se aplica.

O indivíduo que foca sua existência na conquista e manutenção do poder e liderança, em geral abre mão de todos os valores e dignidade para atingir a seus objetivos.

Alguns países os quais são regidos por ditaduras, podem ser considerados como empresas privadas de seus governantes. Normalmente estes chegaram ao poder através da força.

Já em países supostamente democráticos, o processo é um pouco mais complexo porém o objetivo é o mesmo, ou seja, fazer do Estado a sua empresa enquanto durar o seu mandato de governo.

Para chegar ao poder é necessário ganhar o voto de milhares de pessoas, a princípio desconhecidas, colocando-se politicamente e moralmente acima de seus oponentes. Por este motivo as campanhas dos candidatos com maior chance de vitória costumam ser caríssimas. As verbas utilizadas nas campanhas em geral vêm dos próprios candidatos, e empresas que os apoiam. Em geral o valor gasto é muito superior ao somatório dos salários e benefícios que o indivíduo ganhará ao logo de todo o seu mandato. Sendo assim, muitos destes ao assumirem o poder consideram que estão no vermelho, endividados devido aos altos gastos de campanha, e devendo favores às empresas que os apoiaram.


O indivíduo considera que dado o altíssimo nível de "investimento" alocado, assim como o alto risco do "negócio", e a possibilidade de não mais vir a vencer futuras eleições, é necessário não só saldar as dívidas contraídas e favores prometidos, mas também ter um retorno substancial, garantindo a verba necessária para o financiamento de sua próxima campanha, ou quem sabe a sua aposentadoria.


No Brasil o poder executivo (presidente, governadores, prefeitos) depende do legislativo para governar. Ou seja, é desejável que suas leis sejam aprovadas prontamente quando necessário. Daí surgiu o chamado "mensalão", isto é, uma "bolsa" paga mensalmente pelo poder executivo à alguns membros do legislativo (deputados, vereadores, senadores) para assegurar que os seus projetos de lei fossem aprovados. Dado o descrito no parágrafo acima, será que o "mensalão" foi mesmo abolido ou ainda continua ativo em alguma esfera (nacional, estadual ou municipal) ?


Dependendo do nível de investimento para a chegada ao poder, associado aos custos necessários para a sua manutenção e o retorno desejado, torna-se necessário que o governante faça de tudo para aumentar a arrecadação do Estado. Desta forma ele poderá realizar mais projetos, estabelecendo parcerias com empresas que ofereçam vantagens, benefícios, e aos "menos honestos" presentes ou até mesmo comissões.


O descrito acima explica a obsessão do governo em aumentar a sua arrecadação através de impostos e leis punitivas visando a multagem de indivíduos.


Quando vocês verem matéria na TV utilizando apelo emocional, e sugerindo implicitamente a criação de alguma lei punitiva através de multas, pensem que por trás disso pode estar um trabalho de assessoria de imprensa do governo, visando convencer o povo da necessidade de tais medidas.


A verdadeira intenção é sempre o aumento da arrecadação. As justificativas primárias são apenas pretextos demagógicos, por mais claras que pareçam.


Existe solução ? Sim. Para chegarmos a uma solução é necessário aumentar o nivel de educação da população a ponto de compreender a verdade do contexto em que vivemos, aspirar por um mundo melhor e lutar intensamente por isso.

Nem tudo é o que parece ser...

"The world is not dangerous because of those who do harm but because of those who look at it without doing anything."  ~Albert Einstein

"If the structure does not permit dialogue the structure must be changed."

"The greatest humanistic and historical task of the oppressed: to liberate themselves..."

"Education either functions as an instrument which is used to facilitate integration of the younger generation into the logic of the present system and bring about conformity or it becomes the practice of freedom, the means by which men and women deal critically and creatively with reality and discover how to participate in the transformation of their world."
~Paulo Freire (Pedagogy of the Oppressed)

sexta-feira, 30 de abril de 2010

A Depressão e o Tédio

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um poder começar agora e fazer um novo fim." ~Chico Xavier

Segundo estatísticas divulgadas pelo Laboratório de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo, 73,6% da população está comprometida em graus diferentes de algum tipo de transtorno psicológico, e somente 26,4% pode ser considerada “normal” ou sem qualquer tipo de transtorno. A pesquisa, realizada recentemente, aponta que 46% das pessoas com transtorno são portadoras de depressão.

Há quem diga que a depressão é a doença do século, mas se formos analisar documentos que descrevem as civilizações ao longo de nossa história, verificaremos que ela sempre existiu, mas com nomenclaturas diferentes - melancolia (antiguidade), possessão demoníaca (idade média) e até mesmo chegou a ser encarada como intelectualidade no Renascimento.

A depressão, assim como outros transtornos mentais, começaram a ser elucidados nos fins do século XIX / início do século XX através dos estudos de Sigmund Freud, que resultaram na elaboração de sua teoria psicanalítica. A origem da teoria foi quando começou a atender na maior parte jovens senhoras judias, que sofriam de sintomas aparentemente neurológicos (paralisia, perda do controle motor, cegueira parcial, alucinações, etc.), mas que não podiam ser diagnosticados através de exames. Freud então criou um método de tratamento baseado na "cura pela fala", onde o paciente discute as associações com cada sintoma, fazendo-os desaparecer. Durante o tratamento Freud buscava as memórias ocultas ou reprimidas das pacientes, que poderiam estar relacionadas com a origem dos sintomas.

Daí então passam a surgir diversas vertentes relacionadas aos estudos de tais transtornos. Entre estas, a principal discussão é se o tratamento indicado para a doença deve ser de caráter psicológico/psicanalítico (cura pela fala), ou psiquiátrico (clínico/remédios). Ou seja, se a enfermidade é puramente psíquica, se é causada pela deficiência de substâncias químicas no organismo do paciente, ou mesmo ambos.

Não sou psiquiatra nem psicanalista para dar um veredicto ou mesmo uma posição técnica com base teórica consistente, mas vamos refletir um pouco.

Se formos observar o universo que nos cerca, é imediata a constatação de sua magnitude e perfeição. Sendo os seres humanos parte deste todo, por indução é no mínimo provável que deva estar em harmonia com o universo. Mas e as doenças e os transtornos, onde ficam nisso ?

Experiências realizadas com diversas espécies de animais comprovam que a convivência em sociedade altera o seu comportamento. Dependendo do contexto em que são colocados, podem demonstrar-se felizes, calmos, ou estressados, violentos, a ponto de matarem uns aos outros.

É fato que o estado emocional do indivíduo tende a ser influenciado pelo meio em que está. É também sabido que a química do organismo está intimamente ligada aos aspectos psicológicos.

Deus criou o homem, e o deu o universo e a Terra como habitat. O planeta foi cedido ao homem, e sua preservação é nosso dever. Na Terra, construímos nossa civilização, nossas leis, a sociedade. A nossa felicidade está diretamente relacionada à sociedade em que vivemos. Pela estatística acima, 73,6% da população apresenta algum tipo de transtorno psicológico. Para explicar este número tão elevado, ou deveríamos considerar que o ser humano é um "projeto defeituoso", o que não é provável dada a perfeição de todas as criações de Deus, ou o contexto criado pelo homem é desfavorável à sua saúde mental.

Respeito a vertente que alega que a depressão é uma doença clínica, a qual deve se tratada através de medicamentos. Porém acho que cabe a todos que estão lendo este post um momento de reflexão. É nossa obrigação sermos felizes. Precisamos fazer da sociedade um contexto agradável para vivermos, sem repressão e violência, sem permitir que sejamos enumerados, serializados e fiscalizados como escravos e robots. As organizações foram criadas para atender às necessidades do homem, e não o contrário.

Se você se enquadra na lista abaixo ou sente algo que te faça sentir-se mal psicologicamente :

. Está frequentemente com tédio
. Chora facilmente ou sem motivo
. Perdeu o interesse/prazer pelas coisas
. Sente-se culpado, sem saída ou sem valor
. Sente-se meio largado ou paralisado
. Pensa na morte/suicídio
. Dorme demais ou não conseguir dormir
. Perdeu o apetite e peso ou come demais e engordou
. Sente-se cansado e lento ou inquieto e irritável
. Acha difícil concentrar-se e tomar decisões
. Sente dores que não melhoram com tratamento

É sinal que tem algo errado com você. Seja lá o que for que tenha, pode ser resolvido, curado, ou solucionado e o mal estar passará. O importante é não aceitar simplesmente isso como um elemento de sua vida. Vá a um psicanalista, psicólogo ou psiquiatra, e procure descobrir e mudar na sua vida o que não estiver lhe fazendo bem.

Viva a vida intensamente. Aproveite cada dia como se fosse o último, curtindo cada momento e procurando ver sempre os aspectos positivos e construtivos. Procure não se fixar em fatos e lembranças que te causam mal estar ou sentimentos ruins. Não fique tão ligado a bens materiais, pois o homem por mais que tenha jamais ficará saciado com o material. Faça o bem e ajude ao próximo, nada lhe trará mais satisfação do que isso. Lute contra os opressores e ajude a construir aqui um mundo melhor. Faça valer a pena a sua estadia neste planeta. Você é único. Deixe a sua marca.

"Eis um teste para saber se a sua missão na Terra está cumprida. Se você está vivo, sua missão ainda não terminou." ~Richard Bach

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A Midia

Estamos no século XXI. A tecnologia vem crescendo mais do que linearmente ao longo da história de nossa civilização. Parece até um crescimento exponencial, se compararmos o que éramos a 50 anos atrás com os dias de hoje.

A tecnologia da informação e comunicação tem sido um dos principais  avanços dos anos 90 até o presente. Desta forma o homem passou a visualizar o mundo como se fosse uma pequena vila.

Acontecimentos que ocorrem do outro lado do mundo chegam a nós em minutos, ou até mesmo em segundos. Com tanta informação, cabe às empresas que as divulgam definir o que julgam ser prioridade.

Hoje em dia tende-se a acreditar que o mundo e a civilização estão no caminho da destruição, dado o grande volume de notícias ruins que chegam até nós diariamente.

O papel da midia é fundamental em nossa sociedade, porém vale a pena refletir se o conteúdo apresentado visa mostrar ao povo algo que leve a uma vida melhor ou não.

É sabido que notícias de catástrofes, crimes, mortes, informações sobre a degeneração da espécie humana, têm maior audiência. Sendo assim, as emissoras e editoras focam boa parte de suas matérias nestes temas. Outras vezes apresentam problemas pontuais que são utilizados pelos políticos como pretextos para a criação de leis punitivas objetivando o aumento da arrecadação.

É natural que estas empresas queiram aumentar sua audiência, dado que são privadas e têm fins lucrativos.

O importante é que o povo precisa ter consciência deste contexto. Achar que estamos em um processo irreversível de auto-destruição devido às notícias que recebemos é no mínimo um julgamento pré-maturo.
É claro que por exemplo uma suposição do mundo terminar em dez/2012 devido a uma posição astrológica de constelações e planetas é notícia. Se isso vai ocorrer ou não, não importa. O que importa é a audiência.

Muitos podem não acreditar, mas pensamentos negativos e pessimistas geram fatos negativos. Pensamentos positivos e otimistas geram elevação espiritual e melhoria de vida. O universo conspira em favor do que queremos e acreditamos.

A midia precisa ser interpretada e avaliada corretamente e com cuidado. Os pontos negativos sempre poderão ser revertidos. Enquanto há vida, há esperança. Porém é necessário que cada um faça a sua parte. De pedra em pedra, poderemos construir juntos um mundo melhor.