quinta-feira, 7 de julho de 2011

Sonhos


No mundo dos sonhos, lá estava eu. Viajando por imagens obscuras, que de repente tornam-se claras, assim como em um trem fantasma, e uma nova estória inicia. Uma micro estória. Novas emoções, sensações, tristezas, surpresas… Dentre as surpresas, surgem portais, que nos levam a outras estórias, vinculadas por estreitos laços. Faça sentido ou não, assim viajamos, e sonhamos. E acordamos, para um outro sonho, e novas estórias, e emoções.

Uma nova manhã inicia. O sol nasce, e vai lentamente entrando pela minha janela e batendo nos meus olhos, fechados. Um sonho termina. E outro começa, ou recomeça. Tudo passa como em um piscar de olhos, como a própria vida. E o renascimento.

Nossas estórias e sonhos são interligados. As emoções vão e vêm. Momentos de empolgação e alegria alternam-se com decepções e tristezas, como um flash. Ondas de ventos levam e trazem as emoções. Os nossos caminhos que hoje parecem delineados, amanhã podem vir a estar apagados, ou indeterminados.

Um ancião, nos últimos instantes de vida, percebe que tudo passou como um sopro. Toda uma vida como se tivesse percorrida em segundos. O tempo… Uma limitação difícil de ser compreendida, imposta aos animais. Decifrar o tempo, é ou não uma questão de tempo ? Existem universos paralelos em outras dimensões ? Como teria sido a nossa vida se em um dado momento tivéssemos seguido o caminho A, B, ou C ? Estamos nós vivendo em uma instância dentre outras infinitas ? O entendimento do todo ainda está muito além da nossa capacidade de compreensão. O homem é como um bebê, engatinhando diante deste misterioso universo em que fomos colocados.

Aqui estamos para viver, aprender, experimentar. Com humildade e perseverança. Às vezes somos levados a crer que não estamos sozinhos neste universo. Parece que existe algo a mais. Uma força que nos ergue quando passamos por momentos conturbados. Mas para isso é necessário acreditarmos na nossa sensibilidade. Há quem questione a fé. Define-se a fé como o ato de acreditar incondicionalmente em algo que não se pode provar que é real. Por exemplo pode-se ter fé que dias melhores virão.

Embora não se possa provar cientificamente, podemos ser levados a crer empiricamente que a mentalização, a fé, a oração, nos levam a uma conexão com algo maior, desconhecido. E se for feita uma análise estatística, nota-se que um grande volume de pessoas espalhadas pelo mundo, seja lá em que acreditem, mas que recorrem a este tipo de "conexão energética", conseguem obter bons frutos. Seja coincidência ou não, isso é fato. Simplesmente nos fecharmos ao ínfimo e limitado conhecimento alcançado até hoje pelo homem, rejeitando a novos horizontes e perspectivas é no mínimo uma posição igualmente limitada e não inteligente.

No fundo, todos procuramos uma resposta: decifrar o mistério da vida. A vida é um sonho, que passa como um raio de luz. Se estamos aqui, deve haver alguma razão de ser, ou não… Mas considerando que exista a possibilidade de haver, por que não vivê-la intensamente ? Deixar  passar em branco seria perder uma oportunidade de aprender, e evoluir. Entregar-se ao limbo ou deixar-se dominar por linhas pessimistas ou depressivas de pensamento é estagnar-se e deixar de viver.

Se o nosso sonho está sendo algo maravilhoso, ou mesmo um pesadelo, a vida deve continuar.  Todos os momentos são experiências, e no final tudo terá valido a pena.

"The show must go on…"

2 comentários:

  1. Olá,

    Bonita esta sua reflexão a cerca da vida.
    A vida é um grande "mistério profundo".

    Um abraço.

    ResponderExcluir